Maison Bréguet 8 rue Bréguet75011 París Hotel: +33 (0) 1 58 30 32 31 contact@maisonbreguet.com

Rir e sorrir

Ce que veulent les femmes / What Women Want
Nancy Meyers – 2001

Com Mel Gibson, Helen Hunt
Mel Gibson não hesita em beliscar a sua imagem viril e agressiva neste retrato de um publicista macho dotado de um curioso dom de telepatia: ele pode ler no pensamento mulheres. Entre guerra dos sexos e dança em collants, autoparódia e BO de Sinatra, um rom-com saboroso e feroz sem papas na língua.

 

Les Amours imaginaires / Heartbeats
Xavier Dolan – 2010

Com Xavier Dolan, Monia Chokri, Niels Schneider
Uma história de amor triangular que celebra as insensatas fantasias do amor, do ciúme, da amizade, da beleza grega e dos desenhos de Cocteau… Tudo isto visto através do olho pop e contestatário de um realizador originário do Québec com vinte e um anos na altura, herdeiro iconoclasta de Jean-Luc Godard e Wong Kar Waï.

 

Amor à primeira vista em Notting Hill/Notting Hill
Roger Michel - 1999

Com Hugh Grant, Julia Roberts
Com este filme, a comédia romântica muda de rosto: realizada em 1999 por Britânicos, revela um jovem com mímicas e gestos embaraçados (o quase desconhecido Hugh Grant) perante o auge da sofisticação americana (a estrela Julia Roberts) no cenário chique e delicado de um bairro mítico de Londres. Incontornável.

 

Pauline à la plage / Pauline at the Beach
Eric Rohmer – 1983

Avec Amanda Langlet, Arielle Dombasle
Como engatar durante as férias? Dançar um slow em fato de banho? Resistir a um Dom Juan ou a uma mulher fatal? Eis um programa estival bem preenchido para Pauline que se encontra em casa da sua prima, incarnada pela malandreca Arielle Dombasle. Uma deleitável crónica sobre o desejo, a passagem para a idade adulta e o galanteio elevado a arte fílmica.

 

En cloque, mode d’emploi / Knocked Up
Judd Apatow – 2007 

Avec Seth Rogen, Katherine Heigl
O Roi de la Vanne US dos anos 2000 no seu melhor nesta farsa sobre uma paternidade involuntária. Declaração de amor aos losers e ex-virgens, o filme é um brilhante inventário dos usos desaconselhados da camisa de Vénus e das graçolas a evitar na sociedade. Uma comédia colegial, terna e divertida.

 

Il est plus facile pour un chameau… / It’s Easier for a Camel…
Valeria Bruni-Tedeschi - 2003 

Com Valeria Bruni-Tedeschi, Chiara Mastroïanni
Federica pensa que a sua fortuna é um pecado, impede-a de ser feliz e de ter um filho. Daí resulta uma divertidíssima cruzada íntima, entre autoironia e suave loucura: o exame de consciência de uma atriz-realizadora herdeira de uma grande família italiana, irmã Carla Bruni, através de uma sedutora e melancólica comédia.

 

La loi de la jungle / Struggle for Life
Antonin Peretjatko – 2016 

Com Vincent Macaigne, Vimala Pons
Multiplicando situações burlescas e diálogos absurdos, esta odisseia na selva consegue fazer-nos acreditar no impossível: um projeto de instalação de pistas esquiáveis em plena floresta amazónica. Queda de avião, elixir sexual, zaragata, golfe e grandes animais balizarão o percurso ambicioso de um duo de aventureiros improvável.

 

Diamant sur canapé / Breakfast at Tiffany’s
Blake Edwards – 1961 

Com Audrey Hepburn, Georges Peppard
Adaptado de uma novela de Truman Capote, produzido por um dos reis do riso americanos dos anos 50, Diamant sur Canapé é uma comédia amarga que faz o retrato de uma rapariga de condição modesta que anda à procura de um marido rico. Nova Iorque mítica, diálogos espirituais e silhueta andrógina de uma estrela nascente: um filme culto.

 

Happiness Therapy
David O. Russell - 2012 

Com Bradley Cooper, Jennifer Lawrence
Patt e Tiffany são dois esfolados vivos que funcionam com Xanax. Melhor do que uma terapia clássica, a sua relação feita de berros, orgias de burgers e de dança reconciliá-los com a vida. Comédia sobre a bipolaridade, Happiness Therapy é um romance elétrico e descarado do mesmo estilo de Woody Allen ou Howard Hawks.

 

L’Arnacoeur / Heartbreaker
Pascal Chaumeil – 2010 

Com Romain Duris, Vanessa Paradis
Destruidor de casal profissional, Alex apaixona-se por uma jovem que é suposto impedir de se casar. Ajudado por dois comparsas (os formidáveis François Damiens e Juliette Ferrier), entrega-se a um heroico número de engatatão, meio Casanova, meio palhaço, face a uma bonita loura estoica e fã de Dirty Dancing. Irresistível.

 

Bonjour / Good Morning
Yasujirō Ozu – 1959 

Avec Koji Shidara, Yoshiko Kuga
Um dos mais bonitos filmes sobre a infância: no Japão espartilhado dos anos 50, duas crianças privadas de televisão pelos seus pais iniciam uma greve da palavra. Noventa centímetros acima do solo, Ozu filma a chegada da modernidade numa família e assina este hino enternecedor até à insolência e ao direito à má-educação.

 

Les Combattants / Love at First Fight
Thomas Cailley – 2014

Comédia militar, filme de amor, crónica sobre o apocalipse e o fim do mundo, estes Combatentes conduz-nos numa surpreendente expedição conduzida por uma heroína musculada e um rapaz lunar, em luta contra os excessos do mundo moderno (o individualismo, o aquecimento climático). Engraçado e insólito.

Victoria / In Bed with Victoria
Justine Triet – 2016

Advogada, mãe solteira à beira de uma crise de nervos, Victoria contrata uma baby-sitter que sucumbe aos seus encantos. A explosiva Virginie Efira face ao excêntrico Vincent Lacoste, um processo ubuesco, planos Tinder e um chimpanzé: Justine Triet rende aqui uma vibrante homenagem à comédia sofisticada americana passada na picadora de nevroses made in França.

Tendres passions / Terms of Endearment
James L. Brooks – 1984 

Com Shirley MacLaine, Debra Winger
Antiga musa de Minnelli e Wyler, Shirley MacLaine destoa neste papel atípico de pin-up em envelhecimento um pouquinho má. Realizada por um delicado artesão do cinema mainstream, uma comédia amarga e virulenta centrada nas relações mãe-filha. Com um Jack Nicholson no papel de mediador pedante e de surrealista.

 

Un jour sans fin / Groundhog Day
Harold Ramis – 1993 

Com Bill Murray
Com esta história balbuciante de um homem condenado a reviver eternamente o mesmo dia, o ator Bill Murray encontrou o seu maior papel, graças ao qual pode exibir todo o espetro do seu talento: um humor cáustico, uma mímica minimalista, e uma sátira contida contra a América das conveniências e o folclore social. Uma hilariante descida aos infernos.

 

Jerry Maguire
Cameron Crowe - 1996 

Com Tom Cruise, Renée Zellweger
Agente em declínio de estrelas desportivas, Jerry tenta recuperar com a ajuda de um colega tímido e um jogador de futebol psicopata. No fim, o amor triunfa. Jerry Maguire, é a combinação de um Tom Cruise irresistível, de uma avalancha de punchline, de sequências desportivas que roçam o grande guignol, e de um dos mais bonitos beijos de cinema.

 

Chorar

Elle et lui / An Affair to Remember
Léo McCarey – 1957

Com Cary Grant, Deborah Kerr
Um playboy e uma cantora apaixonam-se num navio quando vão ao encontro dos seus futuros cônjuges. Relato lancinante de um encontro falhado, este clássico do melodrama mantém-se eternamente associado a um duo agitado de atores e aos cimos tragicamente celestes do Empire State Building em Manhattan.

 

Tout ce que le ciel permet / All That Heaven Allows
Douglas Sirk – 1955

Com Jane Wyman, Rock Hudson
Cineasta por excelência do amor contrariado, Sirk relata aqui a paixão entre uma viúva e o seu jardineiro quinze anos mais novo. Julgados pela sua vizinhança, tornar-se-ão ovelhas negras, símbolos de uma liberdade impossível na América puritana dos anos 50. Uma áspera e magnífica história de amor sublimada pelo Technicolor.

 

Titanic
James Cameron - 1998

Com Leonardo DiCaprio, Kate Winslet
Segundo maior sucesso mundial de bilheteira (após Avatar) com mais de 2 mil milhões de dólares de receitas, Titanic terá feito verter, pelo menos, o mesmo número de lágrimas. O comovedor idílio tendo como palco o famoso navio britânico que naufragou em 1912, a potência da reconstituição, o nascimento da estrela DiCaprio elevaram-no desde a sua saída à categoria de filme culto.

 

Bonjour Tristesse
Otto Preminger – 1958

Com Deborah Kerr, Jean Seberg
Adaptado do famoso romance de Françoise Sagan, a sua declinação americana confronta duas estrelas da época: a diva dos estúdios Deborah Kerr, face à jovem e insolente Jean Seberg. Um duelo ao sol com fundo de cigarras da Côte d’Azur; um porta-fechada sensual onde operam as mutações brutais, ou até criminosas, da adolescência na idade adulta.

 

Le Jardin des Finzi-Contini / The Garden of the Finzi-Continis
Vittorio De Sica – 1970

Com Dominique Sanda, Fabio Testi
Durante os anos os 30, em plena ascensão de Mussolini, os últimos anos de conquistas amorosas e indiferença de jovens oriundos da alta burguesia judia. Mas esta juventude dourada é assim tão cega? Chantre do neorrealismo italiano, De Sica conta o fim de um éden, figurado por um jardim luxuriante, e a sua invasão progressiva pelo espetro do fascismo.

 

La Ligne rouge / The Thin Red Line
Terrence Malick – 1998

Com Sean Penn, Jim Caviezel
Na batalha de 1942 que opõe os americanos aos Japoneses, que se designou “o Verdun do Pacífico”, um grupo de homens recuam sob o peso dos combates, evadindo-se através de imagens de paraíso perdido. Cineasta místico, Malick repensa o filme de guerra como um poema panteísta bordejando uma carnificina crua. Potente.

 

Les Deux Anglaises et le Continent / Two English Girls
François Truffaut – 1971

Com Jean-Pierre Léaud, Philippe Léotard
Uma educação sentimental atormentada nas costas inglesas… O realizador da Nova Vaga (Os 400 golpes), nunca foi tão lírico e tão justo que neste retrato de Jean-Pierre Léaud em jovem enamorado de duas irmãs ao mesmo tempo, hospedado em casa delas, e que aí perderá o coração e a razão. Bonito e triste.

 

Brève rencontre / Brief Encounter
David Lean – 1945

Com Celia Johnson, Trevor Howard
Campeão dos frescos de fôlego épico (Doutor Jivago, Laurence da Arábia), David Lean assinou, no entanto, o seu mais emocionante filme com este drama simples sobre o adultério. Um breve encontro que começa com as despedidas de dois amantes numa estação de comboios e prossegue com um flashback sobre a sua relação. Entre paixão e lealdade, o que escolher?

 

Manchester by the Sea
Kenneth Lonergan – 2016

Com Casey Affleck, Michelle Williams
A vida destruída de um homem após o desaparecimento de uma parte da sua família num incêndio, do qual é em parte responsável. Num porto de pesca brumoso da costa leste, o destino deste pai inconsolável que se tornou homem de limpeza excede a crónica trivial sobre o luto em prol de um grande canto fúnebre, suave e obsessivo, sobre a resiliência.

 

Comme un torrent / Some Came Running
Vincente Minnelli – 1958

Com Frank Sinatra, Dean Martin
Um fresco familiar urdido em torno da rivalidade entre dois irmãos, um artista alcoólico, o outro um notável burguês e autoritário. Elegante, refinada, a realização é um esplendor: explosão de cores e orquestração estrondosa ao serviço de um romantismo íntimo e visceral. Todo o entusiasmo de Minnelli num filme.

 

Suzanne
Katell Quillévéré – 2013

Com Sara Florestal, François Damiens
Suzanne é uma criança, depois uma estudante do secundário e, por fim, uma jovem adulta desajeitada que abandona tudo para seguir um pequeno escroque. Destino flamejante de heroína inconstante, este bonito filme conta uma adição amorosa, entre reflexão sobre a família, a maternidade e a felicidade em ilusão ótica. O melodrama bruto e romanesco de uma jovem herdeira de Maurice Pialat.

 

Moby Dick
John Huston – 1956

Com Gregory Peck, Richard Basehart
A baleia branca é uma vítima do homem ávido de sangue; é também um símbolo de Deus, das forças ocultas que nós não dominamos. O grande Huston rende-lhe homenagem neste western aquático, violento e épico, onde um herói carismático, o capitão Achab, persegue obcecadamente o animal. O primeiro (gentil) monstro marinho.

 

Rois et Reine / Kings and Queen
Arnaud Desplechin – 2004

Com Emmanuelle Devos, Mathieu Amalric
Uma mulher de negócios coriácea e o seu ex marginal reatam relações após anos, em torno de uma história de adoção. Nesta comédia dramática, curam-se as nevroses através do hip-hop e aprendem-se as coisas da vida num museu, cercado por dinossauros. Um quadro conversador, delirante e, por vezes, terno da condição humana.

 

Les Parapluie de Cherbourg / The Umbrellas of Cherbourg
Jacques Demy – 1964

Com Catherine Deneuve, Nico Castelnuovo
Em plena guerra da Argélia, uma jovem resigna-se a um casamento sem amor após a mobilização do seu amante. Trama com água de rosas, bonitas canções, mas verdadeiro sopro trágico. Num cenário com a calçada molhada, Jacques Demy realiza o seu filme musical mais triste e desconcertante, com uma Deneuve um pouco louca, mas solar.

 

Ariane / Love in the Afternoon
Billy Wilder – 1957

Gary Cooper, Audrey Hepburn
Formidável caso de imbróglio policial e amoroso, Ariane põe em cena a filha de um detetive privado de mal com um velho sedutor. Entre logros e galanteio, uma fábula fascinante sobre os costumes licenciosos da capital do amor, tal como o clama uma voz off a partir das primeiras imagens: «In Paris, everybody does it !»

 

Les Chansons d’amour / Love Songs
Christophe Honoré – 2007

Com Louis Garrel, Ludivine Sagnier.
“Ménage à trois”, luto e canções: é o programa rodopiante deste drama sentimental, galante e fantasista, que apresenta um ballet de atores acrobatas nas ruas abertas de Paris. Na linha das comédias musicais de Jacques Demy, um hino pop à liberdade, à ausência de regra e às múltiplas combinações do amor.

 

Saint Laurent
Bertrand Bonello – 2014

Com Gaspard Ulliel, Jérémie Negar
A vida do grande costureiro, inventor do smoking para mulher, observada sob todas as suas costuras, da mais trivial (o nascimento da “marca”) à mais trágica (os seus episódios de depressão), num filme biográfico barroco e vertiginoso. Onde Paris é visto como a Meca dos génios revolucionários da moda.

 

Les Innocents / The Dreamers
Bernardo Bertolucci – 2003

Com Michael Pitt, Eva Green
Relato de emancipação, ode à juventude, orgia: três jovens de uma beleza fulgurante deambulam num grande apartamento parisiense, entregues à eles próprios e à luxúria dos sentidos em ebulição. Louis Garrel, Michael Pitt, e Eva Green reanimam o espírito de revolta de Maio de 68 nestes papéis de crianças rebeldes, simultaneamente anjos sensuais e conspiradores.

 

Le Plaisir
Max Ophuls – 1952

Com Claude Delfim, Gaby Morlay
Adaptado de novelas de Maupassant, eis três histórias impressionantes que misturam personagens sempre em movimento, festas, danças, corridas, escadas: um velhote que frequenta os bailes, um artista cansado do seu modelo e sobretudo uma alegre banda de prostituídos em plena partida de campanha. A alegria de viver no estado puro.

 

Holy Motors
Leos Carax – 2012

Com Denis Lavar, Edith Scob.
O Senhor Oscar é um ser proteiforme capaz de assumir várias identidades ao mesmo tempo: mendigo, empresário, assassino… Filme na fronteira do fantástico rodado numa Paris semeada de fantasmas, Holy Motors é uma visita guiada de limusina, do Pont neuf ao cemitério do Père Lachaise, e através da história do cinema.

 

Les quatre cents coups / The 400 Blows
François Truffaut – 1959

Com Jean-Pierre Léaud, Claire Maurier
Filme manifesto da Nouvelle Vague, Les quatre cents coups mergulha-nos na Paris dos anos 50-60, nas suas ruas, nos seus cinemas, pelo braço do mais insolente dos adolescentes, adepto da gazeta e do gamanço. Um olhar terno e desencantado sobre a juventude que assina o nascimento de um enorme ator: Jean-Pierre Léaud.

Estemecer e ter medo

Rebecca Alfred Hitchcock – 1940

Com Joan Fontaine, Dame Judith
O romance de Daphné du Maurier passado pelo filtro da estética gótica. Nesta história de casa assombrada centrada numa jovem esposa aterrorizada pelo fantasma da defunta primeira mulher do seu marido, os cenários tornam-se as metáforas do inconsciente e de uma psique sombria e devoradora. Uma obra-prima.

 

Le secret derrière la porte / Secret Beyond the Door… Fritz Lang - 1948

Com Joan Bennett, Michael Redgrave
O mestre alemão do cinema expressionista declina o mito de Barba-azul com este thriller psicanalítico, reflexão sobre as forças do mal num macho sedutor, mas estranho cujo passatempo favorito consiste em reconstituir cenas de crime. Cabe à mulher que o ama desemaranhar os fios do seu cérebro doente. Angustiante.

 

Les Autres / The Others Alejandro Amenabar – 2001

Com Nicole Kidman, Elaine Cassidy
Durante a segunda guerra mundial, uma mãe vive com os seus dois filhos numa moradia isolada. Tornam-se testemunhas de fenómenos estranhos… O grande Kidman imperial sob a direção do jovem prodígio do cinema de terror espanhol: sentimento de asfixia, porta-fechada preocupante e desenlace magnificamente inesperado.

 

Mulholland Drive David Lynch - 2001

Com Naomi Watts, Laura Harring
As relações complexas, sensuais e venenosas de duas jovens atrizes em Hollywood. Obra-prima insólita, pesadelo acordado na cidade dos sonhos, história de amor e de morte… Realizador-culto de Twin Peaks, David Lynch revolucionou o regime das imagens com este thriller estranho e dilatado onde não se consegue separar o falso do verdadeiro, a ficção da realidade.

 

Bound Lilly et Lana Wachowski – 1996

Com Jennifer Tilly, Gina Gershon
Um dos primeiros thrillers explicitamente lésbicos. Potente, sulfuroso, Bound reconstitui a fuga uma ex-prisioneira e de uma mulher fatal, e o seu plano maquiavélico: roubar 2 mil milhões de dólares à máfia. Um filme negro e cru considerado, por uma realização magnificamente estilizada, o prelúdio, três anos mais tarde, do filme-culto Matrix.

 

La nuit nous appartient / We Own the Night James Gray – 2007

Com Joaquin Phoenix, Mark Wahlberg
Mestre do polar americano dos anos 2000, James Gray assina o seu filme mais brilhante com esta história de família dividida: o dono de uma boîte associado à máfia enfrenta pai e irmão, membros da polícia de Nova Iorque nos anos 80. Violência torrencial, drama shakespeariano: uma sublime cruzada noturna.

 

La Féline / Cat People Jacques Tourneur – 1942

Com Simone Simon, Kent Smith
É a história de uma heroína que, à noite, se transforma em pantera. Inovador pela sua forma (cheio de sombras e luzes) e pelo assunto (uma mulher-monstro), La Féline marcou a história do cinema fantástico. Fábula sobre a perda da virgindade, os impulsos, um filme ousado e obsessivo, pilar do cinema de terror.

Gravity Alfonso Cuaron – 2013

Com Sandra Bullock, George Clooney
Aquando de uma banal saída para o espaço, dois astronautas veem a sua nave pulverizada e ficam condenados a flutuar no cosmos. Um cenário aterrorizador para um dispositivo minimalista, Gravity é uma verdadeira viagem visual, um sucesso de bilheteira nas estrelas, na contramão das grandes produções SF frequentemente demasiado cenarizadas. Mágico.

 

Psicose Hitchcock - 1960

Com Anthony Perkins, Janet Leigh
Uma fugitiva, um motel à noite, um rapaz solitário, pássaros embalsamados… Por mais clássico que seja, o opus do mestre do suspense não perdeu nada da sua aterradora aura. Após mais de meio século, continuamos fascinado pela montagem impactante da cena do duche, pelo ricto do ator Anthony Perkins que nunca recuperou verdadeiramente deste papel maléfico.

 

Shutter Island Martin Scorsese – 2010

Com Leonardo DiCaprio, Mark Ruffalo
Um casal de polícias investiga um desaparecimento num asilo de alienados. Mas a realidade é verdadeiramente aquela em que se acredita? Cenário chuvoso e suspense psicológico reativam os códigos do filme preto e estendem a sua tela em redor das personagens. Um grande filme inquieto sobre o regresso do recalcado, a culpabilidade e o reverso mórbido do sonho americano.

 

Signes / Signs M. Night Shyamalan – 2002

Com Mel Gibson, Joaquin Phoenix
Tendo-se revelado com o Sexto sentido, Shyamalan impôs-se nos anos 90 e 2000 como sobredotado do thriller paranormal. Filmado no meio dos campos de milho, Signes aborda frontalmente o tema da invasão dos extraterrestres com os quais uma família é confrontada. Virilidade perdida, crianças visionárias e transcendência: um filme hipnótico.

 

La Nuit du chasseur / The Night of the Hunter Charles Laughton – 1955

Com Robert Mitchum, Shelley Winters.
Um rapazito e a sua irmã num barco fogem pelo rio em plena noite. Tentam despistar o assassino da sua mãe. Obra-prima do cinema de género, que soube associar as trevas à infância, La nuit du chasseur conjuga poema sensorial, pavor infantil e venalidade, numa corrida de perseguição criminosa de uma beleza irradiante.

 

Les Diaboliques / Diabolique Henri-Georges Clouzot – 1954

Avec Simone Signore, Véra Clouzot.
Professoras numa escola, a esposa e a amante do diretor arquitetam um plano que visa matá-lo. O projeto tem êxito, mas o corpo desaparece…. Concebido como uma pequena notícia, o argumento leva a cabo uma vendetta feminina filmada com precisão num fundo de manipulação. A questão do mal na França rígida e moral dos anos 50 é aí vastamente explorada.

LES HORAIRES

Petit-déjeuner de 7h à 10h30 – Déjeuner de 12h à 14h30
Brunch le dimanche de 11h à 15h00
Bar de 19h à 1h du matin – Dîner de 19h30 à 22h30
Service en chambre 17h-7h du matin

RÉSERVATION

Si vous effectuez votre réservation dans un délai trop court, merci de nous contacter au : +33 (0)1 43 38 04 31